Rua dos Andradas, 1261 Cj. 1503 - Centro. Porto Alegre / RS

Home Care



A jurisprudência do STJ respalda o entendimento de que mesmo sem previsão ou até excluída expressamente no contrato, a internação domiciliar é obrigação das operadoras de plano de saúde, em caso de necessidade médica reconhecida. 

O ministro Luis Felipe Salomão, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), garantiu a um associado do plano de saúde da Amil Assistência Médica Internacional Ltda. o direito a tratamento médico, em regime de home care, mesmo sem cobertura específica prevista no contrato.
Segundo o ministro, é abusiva a cláusula contratual que limita os direitos do consumidor, especificamente no que se refere ao tratamento médico. Salomão afirma que o home care não pode ser negado pelo fornecedor de serviços, porque ele nada mais é do que a continuidade do tratamento do paciente em estado grave, em internação domiciliar.
O ministro negou provimento ao agravo interposto pela Amil para que seu recurso especial, contra decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), fosse admitido pelo STJ e a questão fosse reapreciada na Corte Superior. 


Fonte: STJ
Saiba mais em: https://ww2.stj.jus.br/processo/pesquisa/?src=1.1.2&aplicacao=processos.ea&tipoPesquisa=tipoPesquisaGenerica&num_registro=201302034860

Advogado Marcelo de Bittencourt Martins
Advogada Natacha Bublitz Camara

Deixe seu comentário